11 Respostas to “Parada Gay Mais Política e com Menos Políticos”

  1. Júlio César Dillenburg disse:

    O amor não avisa quando chega, nem quem encontrará. O amor simplesmente se instala, progride e jamais agride. O amor não tem sexo, habita na alma da gente e sua manifestação é de afeto, compreensão, companheirismo e solidariedade.
    A ordem é sonhar e lutar por um mundo de “diferentes iguais” em direitos e obrigações.
    VIVA A LUTA DE TODAS AS MINORIAS !!!

    Júlio Dillenburg
    Advogado
    Porto Alegre/RS

  2. Fábio disse:

    Comcordo plenamente com vc Marcelo. Li a matéria da folha ontem e fiquei perplexo pelo tamanho preconceito publicado por um jornal como este. Se os jornais publicassem a essencia verdadeira e causa da parada gay, talvez na segunda-feira não seríamos alvos de piadinhas sem graça em nossos trabalhos e relações interpessoais.

  3. Cláudia Mahyrá disse:

    Nesta edição vi mais manifestações políticas, tanto na forma de cartazes e faixas, quanto nas fantasias. Um exemplo bem humorado foi o sósia de Obama lembrando seu apoio ao casamento igualitário.
    Outra foram pessoas muito jovens com frases de reivindicação, ou pessoas heterossexuais bem idosas, com seus familiares, netos e bisnetos, dando entrevistas às mais diversas formas de mídia(kd?)dando seu apoio à causa, legitimando toda a movimentação dos participantes.
    Quanto a presença de políticos, confesso que algumas me incomodaram e não pude deixar de vaiar Marta durante seu discurso, assim como aplaudi Jean e a fala das Mães da Diversidade(foi emocionante demais).
    Mas o apoio de alguns Punks pra mim foi algo surpreendente. Assim que eles chegaram na Av., confesso que fiquei apreensiva, mas depois vi que o apoio era sincero, e eles foram muito aplaudidos.
    A presença e apoio de Punks quebrando as correntes da intolerância não mostram que já passamos de todos os limites da dor, da violência, do desrespeito?
    Foi uma Parada menor, com muita música, muita alegria, sem recorde de público, poucas ocorrências policiais, mas na qual, nos últimos anos, trouxe, entre os milhões, SIM< MILHÕES

    • Cláudia Mahyrá disse:

      Continuando o comentário:

      Milhões de participantes mostraram maior consciência de seus direitos de reivindicação…e curiosamente é a edição que estão tentando minimizar a importância daquela que todos já sabemos, é a maior Parada Gay do mundo.

      E mesmo se não o fosse, todos que estiveram lá merecem igualmente serem ouvidos e respeitados.

  4. Eleitor disse:

    Afinal, Sr. Gerald, alguém é obrigado a ser à favor do casamento gay? Ser favorável à união estável, prevista na legislação e confirmada pelo STF não basta? Me desculpe, sua atitude não me parece lá muito democrática. É hora de rever seus conceitos.

    • Lutar pela causa LGBT é um direito de qualquer cidadão. Você tentar impedir a defesa de uma ideia ou causa é que não é nada democrático.

    • Johnnie Britto disse:

      Não, não basta! E daí, vai dar “piti” por não acharmos que não basta? Democrático você, heim… Devemos nos contentar “com pouco” e ficarmos caladinhos. Qual a sua autoridade para achar o que nós, LGBTs devemos reivindicar ou não? Ora, me poupe!!!

Responder