23 Respostas to “Entenda Identidade de Gênero e Orientação Sexual”

  1. AiC disse:

    Muito bom o post, principalmente para um primeiro contato com o tema de transgeneridade.

    Mas tenho uma observação, em determinada parte do texto, você disse que existem dois sexos e dois gêneros. Isso não é verdade. Para o caso do sexo, temos os intersexuais (antigamente chamados de hermafroditas), que estão “entre” os extremos homem e mulher (“biológicos”), pendendo para um lado ou para o outro (ou algumas vezes para ambos ou até mesmo nenhum dos dois).

    No caso de gênero, temos diversos casos em que uma pessoa não se identifica perfeitamente nem com o masculino nem com o feminino. Existem aqueles que se identificam com ambos os gêneros, simultaneamente ou não; os “bi-gêneros”. Temos aqueles que não se identificam com gênero nenhum (analogamente aos assexuados, que não sentem atração sexual por nenhum sexo). E temos uma diversidade infinita entre o que chamamos de “homem” e “mulher”, que não existem “nomes” prontos, como no caso dos bi-gêneros; formando assim, o grupo trans*.

    Parabéns novamente pelo post :)

  2. Arthur Ferreira Júnior disse:

    A coisa pode ficar ainda mais complicada se você adiciona, ou melhor, individualiza, os conceitos de orientação afetiva e expressão de gênero.
    Porém, desde que não sirvam de rótulos, é melhor conhecê-los porque eles minoram a confusão… eu, por exemplo, sou bissexual, mas heteroafetivo. Nunca conseguiria me apaixonar por um homem (vejam bem: PAIXÃO, é diferente de amor e de desejo sexual, e é um processo hormonal bem definido).

    • davyd alves disse:

      Achei interessante a colocação mas paixão não é algo do campo consciente.É hormonal pra funcionar desejo, excitação, orgasmo, paixão, amor… mas não determinam as escolhas, a quem me apaixono.E no discurso, de primeira impressão o que tu escreves provoca confusão. A neurociencia tai e fala sobre isso.´Nao existe certeza em se apaixonar por homem ou mulher.De onde vem tanta certeza? Ñão há certeza no campo do psiquismo. O mundo do inconsciente é inacessivel. Acredito que é importante refletir sobre isso. Ou não. Mas é importante ter conhecimento do que se escreve. Se afirmar enquanto bissexual, heteroafetivo, e negar com a palavra “nunca” é algo de uma realidade consciente de hoje, mas não valida, não cristaliza, a tal certeza do nunca. Pode acontecer; e como pode. O nunca e o sempre estão na terra do desconhecido. abraço. Fica na paz.

  3. nathalya disse:

    gostaria que você falasse um pouco sobre gênero e identidade na escola

  4. Gabriel disse:

    O que é identidade de gênero? Identidade de gênero é aquela pessoa que não se identifica com seu órgão sexual o repudiando ao ponto de retira-lo. Concordo e apoio a afirmação que a pessoa que sofre de identidade de gênero chegue a este ponto, pois existe uma diferença muito grande em querer ser e querer parecer.
    Temos que ter cuidado em classificar a pessoa como transexual, pois existe outra palavra irmã desta em inglês conhecida como Shemale, para mim a pessoa transexual é a que repudia tudo em seu corpo que venha a lembra-la do corpo que não se identifica, assim querendo ser uma mulher e Shemale seria aquela pessoa que não deseja ser e sim parecer com uma pessoa do gênero oposto do qual nasceu.

  5. JOAO RAYMUNDO disse:

    GOSTARIA QUE EXPLICASSE COM MAIS DETALHES SOBRE O TRANS-BI

  6. JOAO RAYMUNDO disse:

    EU NÃO ENTENDO PORQUE TODA ESSA POLÊMICA QUE OS EVANGÉLICOS FAZEM CONTRA OS HOMOSSEXUAIS. EU TENHO 58 ANOS E TENHO OBSERVADO O SEGUINTE. NÃO ADIANTA ESCONDER A SUA SEXUALIDADE PORQUE UM DIA A CASA CAI. SEJA ESPÍRITA, EVANGÉLICO, CATÓLICO, ENFIM NÃO IMPORTA A QUE GRUPO PERTENÇA. EU ESTOU CAÇANDO DIA A DIA ESSE TIPO DE PESSOA QUE DISCRIMINA E QUE FAZEM DA HIPOCRISIA UM HÁBITO DIGAMOS ASSIM RELIGIOSO. E IREI DENUNCIAR. É UM VERDADEIRO ABSURDO. AQUI NA BAHIA O ESTADO ONDE ACONTECE O MAIOR NUMERO DE CASOS DE HOMOFOBIA E PARALELAMENTE, BATE RECORDE DE AGRESSÕES A MULHERES. PERGUNTO EU: POR QUE ISSO ACONTECE?

    • katamara disse:

      simples. Falta às pessoas o princípio da tolerância e do respeito às diferenças. Esse princípio é exercitado (ou não) na família, igreja, escola e comunidade; através dos tempos. Infelizmente sabemos que durante muito tempo e ainda hoje a sociedade discrimina as diferenças que podem representar ameaça “aos paradigmas morais” construídos nas instâncias que eu citei acima. Entretanto, sabemos que tudo muda; independente de qualquer vontade opressora!

  7. Leonardo disse:

    Muuito massa essa postagem, finalmente alguém diz alguma coisa coerente sobre sexualidade na internet. rs Acabei de ler um “artigo” de uma psicóloga que dizia que transexuais são só heterossexuais. Eu sou trans-bi.

Responder